31/03/2017

Resenha #49
A Garota do Calendário: Maio - Audrey Carlan @verus_editora

Obs.: Antes de começar essa resenha eu já aviso, pode conter spoiler dos livros anteriores.


Se você ainda não leu os outros livros da série, eu sugiro que você pare de ler essa resenha agora mesmo e vá ler os livros anteriores e suas respectivas resenhas. Você pode ler as resenhas de :

Janeiro                            Fevereiro                           Março                            Abril

Título:  A Garota do Calendário: Maio
Autor (a): Audrey Carlan
Lançamento: 2016
Estante: Skoob - GoodReads
Editora: Verus
Páginas: 144
Literatura: Estrangeira
Gênero: Erótico, romance
Estrelas: 3,0/5

O quinto volume do fenômeno editorial nos Estados Unidos, com mais de 3 milhões de cópias vendidas Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato. A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil. Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser... Em maio, Mia vai trabalhar como modelo no Havaí, onde conhecerá Tai, um dos homens mais impressionantes que ela já viu. Com ele, Mia vai descobrir que o prazer não tem limites — e que ela deve aproveitar absolutamente tudo o que a vida tem a oferecer.

Em maio Mia está no Havaí. Seu novo cliente é o dono de uma marca de biquínis que possui tamanho para todos os tamanhos de mulheres e Mia foi contratada como modelo. Num lugar paradisíaco, Mia está animada com seu novo trabalho e com a possibilidade de levar sua irmã Maddy e sua melhor amiga Ginelle para passar uns dias com ela nesse paraíso litorâneo.

Mia resolve passar um tempo em Las Vegas antes de ir para seu próximo cliente e contar as boas novas para a irmã e as amigas. No entanto, ao chegar em casa ela descobre algumas coisas que a deixam um pouco chocada. Nos livros anteriores, Mia ficou sabendo sobre o relacionamento da irmã com Matt. Ao chegar em casa ela descobre que a irmã perdeu a virgindade com esse rapaz e logo desperta o  instinto protetor e materno dela. Para piorar, o jovem pedem a mão de Maddy em casamento. Mia não aceita muito bem a ideia de ver sua irmã caçula crescendo, mas não cria muito caso porque ela não está mais em casa para cuidar da irmã.

No Havaí, Mia conhece Tai, o modelo que vai fotografar junto com ela. Tai é um samoano lindo, com muita presença e enorme (em todos os sentido, inclusive no sentido que você está pensando). Ele logo se encanta por Mia e juntos os dois vivem uma mês inteiro de prazer e sexo. Entretanto, o moço sempre diz para ela que ele está pronto para encontrar o amor da vida dele e que tem medo de que esse amor nunca chegue.

O livro foi regado de cenas de sexo, muito mais do que os outros livros e eu achei que a Audrey se perdeu um pouco no enredo desse livro, ele foi bem fraco e raso se comparado aos anteriores. Em nenhum momento a autora focou na campanha que era o trabalho do mês. O romance entre eles deu a entender que Tai estava com Mia só como um passatempo e que ela não importava muito para ele. Mesmo que ambas as partes tenham vindo com o discurso de somos apenas amigos coloridos.


 O livro nos mostra um pouco da cultura samoana, o que foi bem legal. O Tai mostrou também um lado bem família assim como o que a Mia tem com a Maddy. Tivemos um pouco de Ginelle (que é uma personagem muito legal). Mia passou um mês inteiro fazendo sexo com Tai após descobrir sobre Wes e Gina e só se lembra do amado quando está indo embora, achei um pouco de cara de pau da parte dela.

Esse livro me decepcionou um pouco. Ele deu uma quebrada no meu ritmo de leitura da série. Achei que a autora pecou nos pequenos detalhes e, por conta disso, o livro acabou desandando um pouco. A leitura não foi das piores, mas os livros anteriores foram bem melhores que esse.

2 comentários:

  1. Olá!
    Li até o mês de junho até o momento e estava achando a série bem "Ok", sabe? Não ruim, mas nada extraordinário.
    Gosto da forma como a autora coloca as diferentes culturas e costumes dos personagens.
    Quando li Junho, senti que a série finalmente estava tomando um rumo diferente.
    Adorei o blog. Seguindo <3

    Beijão
    Leitora Cretina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mônica, tudo bom?
      Fico feliz que você tenha gostado do blog.

      Então, a série é boa, não é nenhuma maravilha, mas ela é boa naquilo que se propõe a fazer. No entanto esse livro foi um pouco decepcionante se comparado aos anteriores, na minha opinião.
      Após junho realmente tem uma mudança no rumo da série e acontecerão reviravoltas surpreendentes.

      Bjos.

      Excluir

MANUSCRITO LITERÁRIO | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2016 | POR:
COMPRE AQUI O LAYOUT QUE SEU BLOG MERECEBILLION DOLLAR LAYOUTS