04/05/2017

Quinta de Cinema
Nerve: Um Jogo Sem Regras


Oi, gente! Tudo bom?

Há alguns dias atrás algumas pessoas de um grupo do Whatsapp do qual eu participo, começaram a falar sobre o filme Nerve:  um jogo sem regras e eu estava completamente perdida no que elas estavam falando. Não que eu não soubesse de qual filme elas falavam, mas eu não tinha visto o filme ainda. Eis então que eu resolvi assistir e agora trago para vocês minha impressões sobre esse filme. 


Para começar eu preciso dizer que esse filme é baseado no livro homônimo de Jeanne Ryan. A premissa do filme é que os participantes do jogo, Nerve, executem desafios propostos por outros jogadores. Ao pressionar "jogar" as pessoa permitem que toda sua vida online seja expostas para os organizadores do jogo, cada tarefa deve ser concluída em 24h e ao término de cada uma o jogador ganha somas em dinheiro. A única maneira de parar o jogo é desistir ou não cumprir as tarefas a tempo.


A cada tarefa realizada o jogador ganha mais seguidores que assistem ao vivo pela internet aos desafios e debatem sobre eles, filmam constantemente os desafios e sugerem outros desafios. Isso acaba transformando os melhores jogadores em celebridades instantâneas. Inicialmente os desafio são bem leves, como  beijar um estranho na rua, mas acabam ficando cada vez mais perigosos.

A temática do filme é muito legal e me prendeu do início ao fim. A trilha sonora é boa e os personagens são bem cativantes. A história do longa vai bem mais além de mostrar os perigos de um jogo. Ele traz a mensagem de que mesmo escondido  escondido por trás de um user ou um nome falso na internet você ainda é responsável pelo que pode acontecer.  


E é assim que a gente vê, logo no início, Vee se propondo a participar do jogo apenas por impulso, apenas para provar a amiga de que ela pode viver a vida no limite, mas acaba se lascando. O jogo tem três modos: observador (que apenas observa e propõe novos desafios), jogador (que executa os desafios) e prisioneiro (que ninguém fala sobre essa modalidade), e uma única regra, você não pode contar para as autoridades sobre o jogo (parece até o Clube da luta). Quando Vee descobre coisas sobre Ian, um dos jogadores que joga junto com ela, ela resolve ir até a polícia contar. E é aí que as coisas começam a dar errado para ela. Ela passa a jogar na modalidade prisioneira e a única saída é vencer o jogo.


O filme é bom, mas seu final deixa um pouco a desejar, então, é bom não elevar muito as expectativas, pois você pode se decepcionar com o filme por causa de seu final. Nerve:  um jogo sem regras estreou em agosto de 2016 e em seu elenco estão Emma Roberts como Vee, Dave Franco como Ian, Emily Meade como Sydney e Myles Heizer como Tommy. Na direção estão Ariel Schuman e Henry Joost. 


A tímida Vee DeMarco é uma garota comum, prestes a sair do ensino médio e sonhando em ir para a faculdade. Após uma discussão com sua até então amiga Sydney, ela resolve provar que tem atitude e decide se inscrever no Nerve, um jogo online onde as pessoas precisam executar tarefas ordenadas pelos próprios participantes. O Nerve é dividido entre observadores e jogadores, sendo que os primeiros decidem as tarefas a serem realizadas e os demais as executam (ou não). Logo em seu primeiro desafio Vee conhece Ian, um jogador de passado obscuro. Juntos, eles logo caem nas graças dos observadores, que passam a enviar cada vez mais tarefas para o casal em potencial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MANUSCRITO LITERÁRIO | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2016 | POR:
COMPRE AQUI O LAYOUT QUE SEU BLOG MERECEBILLION DOLLAR LAYOUTS