19/07/2017

resenha #75
Um perfeito Cavalheiro - Julia Quinn @EDITORAARQUEIRO

Título: Um Perfeito Cavalheiro (Os Bridgertons #3)
Autor (a): Julia Quinn
Lançamento: 2014
Estante: Skoob - GoodReads
Editora: Arqueiro
Páginas: 304
Literatura: Estrangeira
Gênero: Romance, Romance de Época
Estrelas: 5/5
Sophie sempre quis ir a um evento da sociedade londrina. Mas esse é um sonho impossível. Apesar de ser filha de um conde, é fruto de uma relação ilegítima e foi relegada ao papel de criada pela madrasta assim que o pai morreu. Uma noite, ela consegue entrar às escondidas no baile de máscaras de Lady Bridgerton. Lá, conhece o charmoso Benedict, filho da anfitriã, e se sente parte da realeza. No mesmo instante, uma faísca se acende entre eles. Infelizmente, o encantamento tem hora para acabar. À meia-noite, Sophie tem que sair correndo da festa e não revela sua identidade a Benedict. No dia seguinte, enquanto ele procura sua dama misteriosa por toda a cidade, Sophie é expulsa de casa pela madrasta e precisa deixar Londres. O destino faz com que os dois só se reencontrem três anos depois, Benedict a salva das garras de um bêbado violento, mas, para decepção de Sophie, não a reconhece nos trajes de criada. No entanto, logo se apaixona por ela de novo. Como é inaceitável que um homem de sua posição se case com uma serviçal, ele lhe propõe que seja sua amante, o que para Sophie é inconcebível. Agora os dois precisarão lutar contra o que sentem um pelo outro ou reconsiderar as próprias crenças para terem a chance de viver um amor de conto de fadas. Nesta deliciosa releitura de Cinderela, Julia Quinn comprova mais uma vez seu talento como escritora romântica.
Como eu amo a Julia Quinn!! Não há como ler um livro dela e não amar. Seus livros nos fazem ficar suspirando pelos cantos, dar risadas em momentos inoportunos e sofre. E com certeza, esse terceiro livro me fez sofrer muito. 

Esse é o terceiro livro da série Os Bridgertons, então, se você não leu as resenhas dos livros anteriores é bom dar uma olhadinha porque sempre tem um dos irmãos Bridgertons se metendo na vida do outro. Os livros anteriores são O Duque e Eu, sobre a Daphne, e O Visconde que me Amava, sobre o Anthony. 

Um Perfeito Cavalheiro é uma releitura de Cinderela. E só por conta desse detalhe a história de Benedict e Sophie já tinha tudo para me conquistar. 

Sophie é filha bastarda de um conde. Ela nunca foi assumida pelo pai, mas ele nunca deixou faltar nada para a garota e lhe deu uma boa educação, moradia e conforto. No entanto, ele se casa novamente e sua nova esposa não fica feliz em ter de morar sob o mesmo teto que a filha ilegítima do marido. Assim, Sophie precisa enfrentar o desagrado de sua madrasta. Ate que o conde morre. Em seu testamento ele deixa uma herança para sua filha, sua esposa e suas enteadas, mas para que possam usufruir desta herança, a viúva do conde precisa abrigar Sophie até que esta complete 20 anos. A condessa resolve esconder esta informação sobre a herança de todos e passa a tratar a menina como criada. 

Anos após a morte do conde, Sophie já é adulta e resolve ir escondida ao baile de máscaras na casa dos Bidgertons. E aí é que sua vida toma um rumo inesperado. No baile ela conhece Benedict Bridgerton, um dos anfitriões e o solteiro mais cobiçado da alta sociedade naquela temporada. 

Benedict se sente deslocado em meio aos salões de bailes. Ele sempre foi considerado o segundo. Principalmente pelas mães casamenteiras que viam nele mais um Bridgerton com o qual casar as filhas. Ninguém nunca tentou conhecê-lo realmente e isso o incomodava. 

Tudo muda quando Benedict conhece uma dama misteriosa que, além de linda, é inteligente. E ela desperta nele tudo que ele não imaginava que uma mulher pudesse despertar nele, inclusive a certeza de que poderia realmente se casar por amor, assim como seus pais se casaram.

Mas, como vocês já sabem, isso aqui é uma releitura de Cinderela e é óbvio que a bela teve que se mandar correndo e deixou algo para trás,  uma luva.

A partir daí a vida da menina muda mais uma vez e eles acabam se afastando de vez. E o reencontro dos dois não acontece antes que alguns anos se passem. 

Benedict e Sophie se reencontram de maneira bem inusitada e ele é o responsável por salvá-la. Sophie logo o reconhece como seu cavalheiro, mas o mesmo não se pode dizer de Benedict que, além de não reconhecer a moça ainda a trate de maneira bem rude ~leia-se machista~.

Eu vou parar por aqui de contar mais sobre a história porque eu vou acabar contando spoiler e não quero isso. 

Mas preciso compartilhar com vocês que, apesar de favoritar este livro, o casal da vez me fez passar uma raiva tremenda. Ô duas pessoas para brigar ao invés de sentar e e conversar. Por vezes eu percebi que o problema deles foi falta de comunicação. Todo problema poderia ter sido resolvido se tivessem conversado.

Mas, apesar dos pesares, esse livro é maravilhoso. Consegui amar o Benedict mais do que já amava. Quando toda verdade em volta do casal se revelou e as coisas foram se resolvendo podemos ter um vislumbre de que todo o amor que Benedict sentiu por Sophie naquela primeira noite no baile de máscaras não diminuiu nem um pouquinho no tempo em que eles passaram separados.

Para mim esse foi o melhor livro até agora. No entanto, espero pelo livro do Colin que, junto com Benedict, é um dos meus preferidos na família Bridgerton. 

Não preciso dizer muito da escrita da Julia Quinn porque acho que já falei muito nas resenhas anteriores. O livro é bem fluido e rapidamente eu acabei de ler, em algumas horinhas. A história nos prende tanto que eu não consegui largar o livro até ter acabado de ler.

O próximo livo é do fofinho do Colin e mal posso esperar para conhecer a história do meu Bridgerton favorito!

Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MANUSCRITO LITERÁRIO | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2016 | POR:
COMPRE AQUI O LAYOUT QUE SEU BLOG MERECEBILLION DOLLAR LAYOUTS