15/11/2017

Resenha #102
Quinze Dias - @vitormrtns @GloboLivros

Título: Quinze Dias
Autor (a): Vitor Martins
Lançamento: 2017
Estante: Skoob - GoodReads
Páginas: 208
Editora: Globo Alt
Literatura: Nacional
Gênero: Romance, Jovem Adulto
Estrelas: 5/5

Felipe está esperando por esse momento desde que as aulas começaram: o início das férias de julho. Finalmente ele vai poder passar alguns dias longe da escola e dos colegas que o maltratam. Os planos envolvem se afundar nos episódios atrasados de suas séries favoritas, colocar a leitura em dia e aprender com tutoriais no YouTube coisas novas que ele nunca vai colocar em prática. 
Mas as coisas fogem um pouco do controle quando a mãe de Felipe informa que concordou em hospedar Caio, o vizinho do 57, por longos quinze dias, enquanto os pais dele estão viajando. Felipe entra em desespero porque a) Caio foi sua primeira paixãozinha na infância (e existe uma grande possibilidade dessa paixão não ter passado até hoje) e b) Felipe coleciona uma lista infinita de inseguranças e não tem a menor ideia de como interagir com o vizinho. 
Os dias que prometiam paz, tranquilidade e maratonas épicas de Netflix acabam trazendo um turbilhão de sentimentos, que obrigarão Felipe a mergulhar em todas as questões mal resolvidas que ele tem consigo mesmo.
"Eu sou gordo. Eu não sou 'gordinho' ou 'cheinho' ou 'fofinho'. Eu sou pesado,  ocupo espaço e as pessoas me olham torto na rua." E assim começa Quinze dias, livro de estreia de Vitor Martins. Eu confesso que até eu ouvir alguém falar (no caso, tweetar) sobre esse livro durante a MLI desse ano eu não fazia ideia de quem era o Vitor Martins e que ele tinha um livro (eu sei, eu sou bem desligada do mundo).



No entanto, não foi até a Bienal do livro do Rio que eu consegui ter em mãos essa belezura em forma de livro. E para melhorar mais ainda, o Vitor estava lá e eu já aproveitei para autografar meu livro. 

Quando eu comecei a ler Quinze Dias eu não sabia sobre do que se tratava a história porque eu gosto de começar a leitura sem saber o que esperar e me surpreender. E vou dizer uma coisa para vocês, eu me surpreendi e muito com esse livro. 



Quinzes Dias é narrado por Felipe, de 17 anos, que mal pode esperar pelas férias. Na escola, sua vida é atormentada por seus colegas que o perseguem e fazem bullying com ele, apenas por ele ser gordo. Felipe aguenta todo sofrimento da escola apenas com a esperança de que as férias cheguem logo e ele possa finalmente descansar e fazer suas maratonas de séries e assistir seus tutoriais no Youtube.

No entanto, quando suas merecidas férias finalmente chegam e ele acha que vai poder descansar, ele descobre que seu vizinho Caio vai passar quinze dias em sua casa enquanto os pais dele estão viajando. Tudo estaria muito bem, se o Caio não fosse o crush supremo do Felipe. No início, Felipe fica muito sem graça com a situação e acaba tendo que confrontar suas inseguranças para o bem do convívio entre eles durante esses quinze dias. Com isso eles começam a trocar ideias, opiniões e até sentimentos. Essa nova amizade - junto com sua terapeuta - muda o modo como Felipe se sente consigo mesmo e o ajuda a enxergar várias coisas sobre sua vida.

A narrativa do livro é maravilhosa, o Vitor deu um ar leve para os dramas do personagem, que poderiam ser bem mais pesados se o autor não os tratasse com tanto humor. Eu me vi várias vezes nos dramas do Felipe. Mas, apesar dessa leveza, o livro trata de alguns assuntos bem sérios como gordofobia , bullying e homofobia. 


A maneira como o Vitor trata a gordofobia é bem real. As inseguranças de Felipe sobre seu corpo, a maneira como o menino lidou com isso desde a infância (deixando de ir à piscina, por exemplo) ou o desconforto que ele sentia quando pedia comida por já saber o que as pessoas iriam pensar. O autor criou personagens tão reais que eu me peguei várias vezes me pondo no lugar dos personagens. 

Outra coisa que me surpreendeu no livro foi a Rebeca, melhor amiga do Caio, que também é gorda e que surpreendeu o Felipe por esse motivo. O Caio é um fofo que eu quero levar para casa e colocar dentro de potinho e proteger ele do mundo. O autor criou personagens tão reais que, enquanto o Felipe achava o Caio um deuso, o Caio tinha suas próprias inseguranças.

A edição da Globo Alt está linda. A capa e a diagramação estão muito boas. A leitura é bem fluida e eu li o livro todo em um dia e claro que eu voltei outro dia no estande da Globo Alt na Bienal apenas para falar para o Vitor que eu amei o livro e que já quero o próximo. Quinze Dias merece as cinco estrelas que eu dei e está entre os melhores livros que eu li em 2017 e com certeza é um dos jovem adulto mais bonitos que já li.


Beijos e até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MANUSCRITO LITERÁRIO | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2016 | POR:
COMPRE AQUI O LAYOUT QUE SEU BLOG MERECEBILLION DOLLAR LAYOUTS