Resenha #111
O Príncipe Corvo - Elizabeth Hoyt



Título:  O Príncipe Corvo (Trilogia dos Príncipes #1)
Autor (a): Elizabeth Hoyt
Lançamento: 2017
Estante: Skoob - GoodReads
Páginas: 350
Editora: Record
Literatura: Estrangeira
Gênero: Romance de época, romance
Estrelas: 4,5/5

Ao descobrir que o conde de Swartingham visita um bordel para atender suas “necessidades masculinas”, Anna Wren decide satisfazer seus desejos femininos... com o conde como seu amante 
Chega uma hora na vida de uma dama... Anna Wren está tendo um dia difícil. Depois de quase ser atropelada por um cavaleiro arrogante, ela volta para casa e descobre que as finanças da família, que não iam bem desde a morte do marido, estão em situação difícil. Em que ela deve fazer o inimaginável... O conde de Swartingham não sabe o que fazer depois que dois secretários vão embora na calada da noite. Edward de Raaf precisa de alguém que consiga lidar com seu mau humor e comportamento rude. E encontrar um emprego. Quando Anna começa a trabalhar para o conde, parece que ambos resolveram seus problemas. Então ela descobre que ele planeja visitar o mais famoso bordel em Londres para atender a suas necessidades “masculinas”. Ora! Anna fica furiosa — e decide satisfazer seus desejos femininos… com o conde como seu desavisado amante.

Eu confesso que quando O Príncipe Corvo foi lançado esse ano eu não me animei muito para ler, mas minha irmã me deu um exemplar de presente e eu simplesmente devorei o livro. Minhas expectativas não eram muito altas, mas a história consegui me cativar bastante e acabou se tornando um dos melhores livros que eu li esse ano. 


O Príncipe Corvo conta a história de Anna Wren, uma viúva respeitável que, após a morte do marido há cinco anos, passou a tomar conta das finanças da casa e com isso ela descobre que o dinheiro que seu marido lhe deixou não é suficiente para todas as despesas e assim ela precisa arranjar um emprego. Mas, para uma viúva que nunca trabalhou antes e que mora numa cidade pequena fica difícil de arranja emprego. Até que Anna vê a oportunidade de conseguir o tão necessário emprego como secretária do conde. 


Anna começa a trabalhar como secretária de Edward de Raff, o conde de Swartingham, mas ele não é a pessoa mais simpática que há - motivo esse que faz com que ninguém consiga ficar na função por muito tempo. No entanto, ela não só o enfrenta como também se sente atraído por ele. 

No decorrer dos dias eles criam uma amizade e a atração que eles sentem um pelo outro aumenta cada vez mais, mas o conde não consegue enxergar Anna como alguém com quem ele possa formar um família. Até que ela descobre que o conde é frequentador de um bordel em Londres e resolve que irá satisfazer seus desejos com o conde de qualquer maneira sem que ele saiba sua identidade. 


O Príncipe Corvo tem um enredo interessante que me prendeu do início ao fim. Porém, eu achei que a autora correu um pouco com a história em determinado momento e eu fiquei a espera da grande treta que foi criada no decorrer da trama, mas que não chegou em momento algum. A Felicity que deveria ser a grande vilã da trama, armou toda a confusão em cima de coisas que ela imaginava e na hora de realmente fazer toda confusão, não fez nada. Isso me decepcionou um pouco. 

Mas, mesmo com esse ponto negativo, a autora criou uma história fantástica, com personagens marcantes e bastante cativantes. Eu amei a Anna como a protagonista, ela é uma personagens forte que não fica sentada esperando que as coisas aconteçam com ela, ela corre atrás do que quer e eu realmente gostei disso, visto que o livro se passa numa época em que as mulheres são bastante submissas e passivas. 

Outra cena da Anna que eu gostei bastante foi quando ela resolveu tomar a iniciativa com o conde, já que, como eu disse antes, o livro se passa numa época em que nenhuma mulher deveria fazer isso. Essa foi uma das cenas mais empoderadas que há no livro.


O Edward também é um personagem que eu gostei bastante. Ele é inseguro e com muitos traumas familiares, sendo necessário que a Anna o mostre que ele pode ser amado. Eu achei essa ideia de inversão de papéis da autora maravilhosa, sendo o homem o inseguro da relação e não o contrário como é visto na maioria dos romances

Essa edição da Editora Record está maravilhosa. A diagramação está boa e a capa é linda preta com detalhes dourados. A escrita da Elizabeth Hoyt é maravilhosa e fluida, me prendeu até o fim que por sinal acabei rapidamente. Agora estou ansiosa para a leitura do próximo livro da trilogia, O Príncipe Leopardo.

Beijos e até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário