Resenha #113
Graffiti Moon - Cath Crowley @EdValentina

Título:  Graffiti Moon
Autor (a): Cath Crowley
Lançamento: 2014
Estante: Skoob - GoodReads
Páginas: 240
Editora: Valentina
Literatura: Estrangeira
Gênero: Romance, Young Adult
Estrelas: 5/5

Uma aventura emocionante e perigosa como um grafite clandestino. Uma noite de arte e poesia, humor e autodescoberta, expectativa e risco e, quem sabe, amor verdadeiro.
Um artista, uma sonhadora, uma noite, um significado. O que mais importa?
O ano letivo acabou, aliás, o último ano do ensino médio. Lucy planejou a maneira perfeita de comemorar: essa noite, finalmente, ela encontrará o Sombra, o genial e misterioso grafiteiro, cujo fantástico trabalho se encontra espalhado por toda a cidade. Ele está de spray na mão, escondido em algum lugar, espalhando cor, desenhando pássaros e o azul do céu na noite. E Lucy sabe que um artista como o Sombra é alguém por quem ela pode se apaixonar — se apaixonar de verdade.
A última pessoa com quem Lucy quer passar essa noite é o Ed, o cara que ela tem tentado evitar desde que deu um soco no nariz dele no encontro mais estranho de sua vida.
Mas quando Ed conta para Lucy que sabe onde achar o Sombra, os dois de repente se juntam numa busca frenética aos lugares onde sua arte, repleta de tristeza e fuga, reverbera nos muros da cidade. Mas Lucy não consegue ver o que está bem diante dos seus olhos.

Apesar desse não ser o primeiro livro que eu li esse ano, essa é minha primeira resenha do ano. E, apesar de eu querer ler esse livro desde seu lançamento em 2014, foi só na Bienal de 2017 que eu tive a oportunidade de adquirir esse livro. 

Graffiti Moon despertou meu interesse primeiro por causa da capa maravilhosa que ele possui. De início, por causa da capa, eu achei se tratar de uma graphic novel, mas conforme eu vi as críticas eu descobri que se tratava na verdade de um livro young adult, o que só aumentou minha vontade de ler.




Em Graffiti Moon iremos conhecer Lucy, uma menina que ama arte e trabalha fazendo esculturas de vidro. Na noite da sua formatura do Ensino Médio, ela e suas amigas pretendem comemorar o fim dos estudos, mas Lucy tem planos diferentes. A menina, que ama a arte do Grafiteiro Sombra e também tem uma paixão platônica por ele, quer a todo custo encontrar com o misterioso grafiteiro. 

Apesar de serem artes diferentes, para Lucy a arte dele, assim com a dela, são uma amostra da própria alma do artista e se tornam mais lindas ainda com o acompanhamento dos textos do Poeta que sempre está junto do grafiteiro. 

No entanto, como a identidade do Sombra é um mistério, ela não sabe que o artista por quem ela possui uma paixão platônica pode está bem na sua frente, que pode ser bem diferente do que ela imaginou que ele seria e muito diferente dela, que já possui seu futuro todo certo e em andamento.



Assim, Lucy sai em busca do Sombra através dos lugares em que ele esteve antes e que são,de alguma forma partes da alma dele. Junto com ela está Ed que aparentemente conhece todos os locais onde o Sombra costuma ficar e pintar seus murais, até os mais escondidos. Os dois saem juntos nessa busca que transforma uma noite, que seria de festa para Lucy, em uma noite de descobertas e cheia de autoconhecimento.

O livro trata de assuntos reais e dramas muito comuns na adolescência, mas apesar disso eu me identifiquei bastante com o livro e os personagens (tenho alma de adolescente ainda, me julguem). A maneira como a autora escreve e expõe toda a vida dos personagens e suas dúvidas e reflexões nos toca de uma maneira profunda e única. 

O livro todo se passa em uma única noite, mas nós ficamos com a sensação de que o livro se passa em vários dias diferentes por conta da química que os personagens compartilham entre si. E, apesar de que toda verdade ficar bem explícita logo no começo do livro, isso não estraga em nada a trama do livro, que nos deixa ansiosos para saber se Lucy irá ou não chegar a conclusão que nós já chegamos e qual será a reação dela em face de toda verdade.

Um dos pontos altos do livro é a sensibilidade e a riqueza de detalhes com que a autora descreve cada grafite que e importante para o Sombra. E o fato do livro ser narrado alternadamente entre os personagens nos dá a oportunidade de conhecer as emoções que cada um está sentindo, além da chance de poder conhecer as poesias criadas pelo Poeta. 

Cath Crowley criou uma história linda, repleta de arte, paixão, descobertas, sensibilidade e maravilhosa. A diagramação do livro está boa e a arte da capa é espetacular. Graffiti Moon é um livro que eu irei recomendar para qualquer um que me pedir uma indicação.

******Quotes******

Eu me levanto depois de um tempo e tiro minha bicicleta da pare de trás da van. Está bem detona, mas ainda em condições de andar. Desamarro o capacete e o coloco. Vou descendo as ruas devagar, um vento fresco na minha pele. A escuridão de vidro daqui a pouco vai embora, e o dia vai raiar. Os pássaros estão doidinhos. Por enquanto, o mundo é deles. E meu. Pedalo de um lado ao outro da rua. Não estou pensando nessa noite como aquela em que fui trocada pela Beth. Ou em que quase beijei o Sombra. Estou pensando nela como uma aventura. O começo de algo real.

Aqui

Ela diz que vai me perdoar
Diz que é só dessa vez
Diz vai em frente e me beija
Diz enrola o meu cabelo
Diz era isso mesmo que eu estava procurando
Diz que está feliz porque o frio chegou
Eu digo que  quero vê-la amanha
Ela aponta o dedo pro céu 
E diz que é aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário