Título: Antes da Tempestade
Autor (a): Dinah Jefferies
Lançamento: 2017
Estante: Skoob - GoodReads
Páginas: 343
Editora:  Paralela
Literatura: Estrangeira
Gênero: Romance, Romance de época
Estrelas: 4,5/5


"Para conhecer o amor verdadeiro é preciso ser arrasado por ele.” Rajputana, Índia, 1930. Desde a morte de seu marido, a jovem inglesa Eliza tem como única companhia sua câmera. Determinada a se firmar como fotógrafa profissional, ela acaba de aceitar um convite do governo britânico para se hospedar durante um ano no castelo da família real local. Sua missão: fotografar, para o acervo da Coroa inglesa, a vida no Estado principesco de Juraipore. Ao conhecer Jayant, irmão mais novo do marajá, Eliza embarca na aventura mais transformadora de sua vida. Acompanhada pelo príncipe rebelde e misterioso, ela conhecerá uma terra marcada por contrastes — com paisagens de beleza incomparável, cultura rica e vibrante e, ao mesmo tempo, a mais devastadora das misérias. Enquanto Eliza desperta Jayant para a pobreza que circunda o castelo, ele mostra a ela as injustiças do domínio britânico na Índia. Juntos, descobrem uma afinidade de alma e uma paixão arrebatadora. Mas a família real fará de tudo — até o impensável — para impedir a aproximação entre o nobre indiano e a viúva inglesa.
Livro cedido pela Editora em um evento da Aliança de Blogueiros do RJ 

Antes da Tempestade conta a história de Eliza Fraser, uma jovem viúva que recebeu a oportunidade de fotografar a família real de Rajputana, na Índia, e enviar para o acervo da coroa britânica. Para Eliza essa pode ser a oportunidade de alavancar sua carreira como fotógrafa. 

Ela já havia morado na Índia quando era criança, mas após a trágica morte de seu pai ela e sua mãe se mudam para a Inglaterra e desde então ela nunca tinha retornado à Índia. Dali em diante a vida de Eliza muda completamente, ela se culpa pela morte do pai e sua mãe não é mais a mesma por causa do álcool. Porém, com a morte de seu marido ela se vê só sua melhor escolha, sua única escolha, é a fotografia e assim ela volta ao país onde realmente se sente em casa.


É preciso haver equilíbrio. Filtrar aquilo que importa e o que não importa.
- pág 57

Mas, para surpresa de Eliza, as pessoas no castelo não são tão amigáveis quanto ela achou que seriam. Isso porque o país está passando por um momento delicado e muitos indianos desejam a independência da Índia, além do rumor de que pode haver um golpe de estado. E ela, por ser inglesa, se vê no meio de todo esse ódio contra a coroa britânica. 

Eliza deveria ficar no castelo por um ano e fotografar a rotina de toda a família real Rajaputana e as pessoas da cidade, o mercado, tudo ao redor do castelo. Mas, com o passar de sua estadia em Rajputana ela começa a perceber que não está ali apenas para fotografar, mas também conhecer todo o local e ser uma espiã para o governo inglês, mesmo contra sua vontade. Salter, que foi quem arrumou o trabalho para Eliza, queria que ela espionasse a família do marajá, mesmo que ela não soubesse disso. 

No entanto, o maior contratempo da estadia dela lá foi Chatur, conselheiro do marajá, que, por ela ser inglesa, logo de cara não gosta dela e tenta utilizar sua influência junto ao marajá para limitar seus passos e destruir todo seu trabalho. 



Com tantos empecilhos em seu trabalho e sua estadia em Rajputan, Eliza acaba encontrando um aliado dentre a família real, o príncipe Jayant. Ele é um aventureiro, filho do meio da rainha e sucessor do marajá caso algo aconteça com ele, já que este não tem um filho homem para ser seu herdeiro. Caso algo aconteça com o marajá, ele deve assumir o trono e se casa com uma princesa. 


A realidade é uma questão de interpretação. Eles existem em nossos corações e mentes. É isso que importa. Propiciam a base para vivermos a vida. Nem tudo é bom, mas sabemos onde estamos pisamos. Conhecemos nosso lugar no mundo. Pode dizer o mesmo?
- pág 122

Isso se torna um problema para Eliza, que, com a proximidade que ela e Jayant acabam tendo, algo começa a surgir entre eles. Porém, além do príncipe ser o sucessor do marajá, há outro problema na relação deles. Eliza é viúva. Na cultura da Índia, a mulher tem a obrigação de cuidar do marido e caso este venha a falecer antes dela, ela deve se suicidar, sendo queimada viva numa fogueira. Se elas não aceitassem isso, eram amarradas e postas a força na fogueira. Além de que uma viúva é tido como uma figura impura e que dá azar aos outros, não sendo vistas com bons olhos. Por conta disso a relação deles não pode acontecer, e todos ao redor de Eliza a alertam para isso.

Com o passar dos meses Eliza continua tirando suas fotos, Jayant está conhecendo a pobreza de seu povo e suas verdadeiras dificuldades e assim surge a ideia de montar um sistema que ajude a população com algumas dificuldades. Mas Eliza ainda teme que seu segredo seja descoberto e suas feridas reabertas. 



[...] Sentia-se oca, como se seu corpo tivesse se liquefeito e escoado. Tudo tinha se destroçado [...]  - pág 260

O livro é bem interessante e a história é realmente incrível. A escrita da Dinah é maravilhosa e a narrativa é tão fluida que eu acabei o livro em dois dias, pois não conseguia largar o livro em momento algum. A diagramação do livro está ótima,o tamanho da letra e o espaçamento estão bons e as folhas amareladas. A capa é linda e condiz muito com a história. 

Amo livro sobre outras culturas. E conhecer a cultura indiana foi maravilhoso. Entretanto, o fato dos personagens não terem sido muito bem desenvolvidos, não terem uma profundidade muito grande me incomodou um pouco, por isso eu não dei 5 estrelas para o livro. Os personagens deveriam ter sido mais trabalhados, eu queria conhecer um pouco mais sobre eles e não tive a sensação de que os conhecia bem. Apesar disso, eu recomendo o livro. Antes da Tempestade é uma história repleta de sentimento, culpa, superação e perdão.



Deixe um comentário