Título: Eleanor & Park
Autor (a): Rainbow Rowell

Estante: Skoob - Goodreads

Lançamento: 2014
Páginas: 328 páginas
Editora: Novo Século
Literatura: Internacional
Gênero: Romance, Young Adult,
Estrelas: 5/5
Compra: Amazon
Sinopse:  " Eleanor & Park é engraçado, triste, sarcástico, sincero e, acima de tudo, geek. Os personagens que dão título ao livro são dois jovens vizinhos de dezesseis anos. Park, descendente de coreanos e apaixonado por música e quadrinhos, não chega exatamente a ser popular, mas consegue não ser incomodado pelos colegas de escola. Eleanor, ruiva, sempre vestida com roupas estranhas e "grande" (ela pensa em si própria como gorda), é a filha mais velha de uma problemática família.
Os dois se encontram no ônibus escolar todos os dias. Apesar de uma certa relutância no início, começam a conversar, enquanto dividem os quadrinhos de X-Men e Watchmen. E nem a tiração de sarro dos amigos e a desaprovação da família impede que Eleanor e Park se apaixonem, ao som de The Cure e Smiths. Esta é uma história sobre o primeiro amor, sobre como ele é invariavelmente intenso e quase sempre fadado a quebrar corações. Um amor que faz você se sentir desesperado e esperançoso ao mesmo tempo. "


“– Não gosto de você, Park – ela confirmou, num tom que, por um segundo, pareceu indicar que era sério mesmo. – Eu… – a voz dela quase desapareceu. – Eu acho que vivo por você.” 


O romance se passa em 1986 e conta a versão da Eleanor e do Park intercalados em capítulos e, às vezes, temos as duas versões num mesmo capítulo.

Já gostei do livro de cara por se tratar do primeiro amor. Os personagens tem 16 anos e nunca se apaixonaram por ninguém. Além disso, tem toda uma temática geek (vamos combinar que é maravilhoso esse mundo) cheio de referências.

Eleanor é nova na cidade e, consequentemente, nova no colégio. Uma menina que foge dos padrões por ser ruiva, gorda e andar com roupas maiores do que ela. Sem nenhuma vaidade. Diferente de todas as garotas que estudam no mesmo local.

Infelizmente, sua vida em casa é complicada. O padastro é super possessivo em relação a ela e a mãe dela. E a mãe não faz nada para que a situação mude ou amenize.

Assim que pega o ônibus escolar ela dá de cara  com um menino coreano chamado Park. Ele só fica no fone de ouvido ouvindo músicas no seu radinho e lendo gibis. Eleanor por sua vez, é sempre zoada pelos colegas por causa do seu jeito meio esquisito de ser.


Eleanor sempre senta ao lado do Park no ônibus pois é o único que (mesmo não sendo simpático) não a zoa e que a deixou sentar ao seu lado. Na verdade, Park finge ser invisível para não ter que lidar com a menina nova e estranha .

“Ela tinha o tipo de sorriso que você vê em um anúncio de pasta de dentes, onde você pode ver quase todos os dentes de alguém. ‘Ela deve sorrir o tempo todo’, ele pensou, o que fazia o rosto passar de estranho a bonito. Ele queria fazê-la sorrir constantemente.”

Eis que um dia, Park nota que Eleanor lê de rabo de olho os seus gibis e ele começa a passá-los bem devagar para que ela consiga ler junto com ele. E acaba emprestando para ela alguns gibis, deixando-os em seu lugar. Ela os pega, guarda na mochila, leva para casa e lê sempre ao final da noite, quando todos estão dormindo. No dia seguinte, ela os devolve, do mesmo jeito que os recebeu: sem falar nada.

De repente, Park puxa assunto com Eleanor e descobre outra coisa que os dois tem em comum: a música e acabam virando grandes amigos. Park sempre a protege contra o bullying que ela sofre tanto na escola quanto no ônibus.




Com o passar do tempo, se descobrem apaixonados. Mas Eleanor não pode assumir esse romance em casa por causa do padastro.

Segurar a mão de Eleanor era como segurar uma borboleta. Ou um coração a bater. Como segurar algo completo, e completamente vivo.


Um romance proibido que vai nos fazer chorar, rir, acreditar que tudo dará certo e torcer para isso.

Vamos ver dois jovens aprendendo sobre o amor e como lidar com esse sentimento por causa de todos os obstáculos que enfrentam. Mas juntos conseguem seguir em frente e ultrapassar qualquer limite que os façam pensar em desistir um do outro.




É um amor verdadeiro, que surgiu de uma amizade, onde nenhum dos dois achava que seria dessa forma.

A própria Rainbow Rowell  criou playlists no Spotify para este livro. São elas: Eleanor, Side A ; Eleanor, Side B ;  Park, Side A ; Park, Side B; Eleanor & Park: The Inspiration ; Eleanor & Park: The Soundtrack.

Deixe um comentário