Título: Todo dia
Autor (a): 
David Levithan
Lançamento: 2013
Páginas: 280
Estante: Skoob
Editora: Galera Record
Literatura: Nacional
Gênero: 
Jovem Adulto, Ficção
Estrelas: 4/5
Compra: Amazon

Neste novo romance, David Levithan leva a criatividade a outro patamar. Seu protagonista, A, acorda todo dia em um corpo diferente. Não importa o lugar, o gênero ou a personalidade, A precisa se adaptar ao novo corpo, mesmo que só por um dia. Depois de 16 anos vivendo assim, A já aprendeu a seguir as próprias regras: nunca interferir, nem se envolver. Até que uma manhã acorda no corpo de Justin e conhece sua namorada, Rhiannon. A partir desse momento, todas as suas prioridades mudam, e, conforme se envolvem mais, lutando para se reencontrar a cada 24 horas, A e Rhiannon precisam questionar tudo em nome do amor.

Um livro que nos faz questionar e pensar sobre as variações do amor. É assim que eu definiria “Todo Dia”. Para quem não sabe, esse ano vai ser lançada a adaptação desse livro e tô mega curiosa para ver como será. É um livro que encanta, que tem um jeito inocente e acima de tudo respeito.

A é o protagonista da história. Uma pessoa sem gênero que hospeda em corpos e fica neles por 24 horas. A não quer de nenhuma forma interferir na vida de seu hospedeiro. Então é como se todos os dias fosse a mesma coisa. Uma família diferente, um corpo diferente, amigos e amores diferentes.

Todo dia sou uma pessoa diferente. Eu sou eu, sei que sou eu, mas também sou outra pessoa. Sempre foi assim.

 Até que um dia se hospeda no corpo de Justin. Um adolescente idiota, que trata mal a namorada e só dá valor aos amigos. Aquele típico babaca do Ensino Médio. E é nesse corpo, que ele conhece a namorada de Justin, Rhiannon e acaba se apaixonando por ela.

Enquanto está no corpo de Justin, tenta fazer o dia dela o mais feliz. Eles passeiam e aproveitam cada segundo juntos. Como A consegue acessar a mente de seu hospedeiro, percebe que Justin não gosta de Rhiannon o suficiente para tratá-la bem e ter um compromisso sério com ela, afinal, não há um respeito. Mas ele não pode terminar esse namoro pois não quer interferir na vida de seus hospedeiros.

Ela é meu primeiro e único amor. A maioria das pessoas sabe que o primeiro amor não será o único. Mas, para mim, ela é as duas coisas.

Após as 24h no corpo de Justin, A vai para outro corpo, mas continua pensando em Rhiannon. Quer vê-la a qualquer custo, quer estar com ela e viver um amor impossível. Mas como ele vai fazer isso se para ela, naquele dia ele era o Justin de bom humor? Como vai contar a ela que vive cada dia em um corpo e que podem se amar assim ? Como ela entenderia ? Como aceitaria ?

Me flagro sorrindo quando ela se aproxima, e ela retribui. Simples assim. Simples e complicado, como a maior parte das coisas verdadeiras.

Um livro que temos que ler sem nenhum preconceito e estar aberto as diversidades sociais. Vamos ver A em corpos que tem doenças, vícios, entre outras coisas e ele tenta ligar contra tudo isso. Tenta fazer um dia melhor para cada pessoa que vive ao redor de seu hospedeiro e até mesmo tenta fazer o bem para o hospedeiro.

Foi a boa experiência ler este livro. É um dos livros que você quer terminar logo, para saber o final, mas ao mesmo tempo não quer que acabe nunca.

Espero que todos leiam e assistam a essa adaptação. E também espero que a adaptação seja tão boa quanto o livro é.

Aproveitem cada dia com A e sintam as experiências que ele teve que viver.

Beijos e até mais :)

3 Comentários

  1. Gostei muito sou sua faincindicional bjs Dani

    ResponderExcluir
  2. Esse cara estava meio doidão quando escreveu essa história, tanto que nem conseguiu justificar o porquê das coisas KKK será que ele terá uma continuação?

    ResponderExcluir