Título: O Oceano No Fim Do Caminho
Autor (a): Neil Gaiman
Lançamento: 2013
Estante: Skoob
Páginas: 208
Editora: Intrínseca
Literatura: Estrangeira
Gênero: Fantasia
Estrelas: 4/5
Comprar: Amazon
Foi há quarenta anos, agora ele lembra muito bem. Quando os tempos ficaram difíceis e os pais decidiram que o quarto do alto da escada, que antes era dele, passaria a receber hóspedes. Ele só tinha sete anos.Um dos inquilinos foi o minerador de opala. O homem que certa noite roubou o carro da família e, ali dentro, parado num caminho deserto, cometeu suicídio. O homem cujo ato desesperado despertou forças que jamais deveriam ter sido perturbadas. Forças que não são deste mundo. Um horror primordial, sem controle, que foi libertado e passou a tomar os sonhos e a realidade das pessoas, inclusive os do menino.Ele sabia que os adultos não conseguiriam — e não deveriam — compreender os eventos que se desdobravam tão perto de casa. Sua família, ingenuamente envolvida e usada na batalha, estava em perigo, e somente o menino era capaz de perceber isso. A responsabilidade inescapável de defender seus entes queridos fez com que ele recorresse à única salvação possível: as três mulheres que moravam no fim do caminho. O lugar onde ele viu seu primeiro oceano.

Primeiro vamos a opinião do pai da criança. Neil Gaiman.

Nessa linha sinuosa entre escapismo e realidade, o espectro se abre para um universo de leituras possíveis. E elas podem mesmo ser infinitas. A nós, restam os nós. O enforcamento. Ou a salvação diante das profundezas do oceano de Gaiman.

Valeu meu querido. Bom, vamos ao que realmente interessa.

Um começo meio monótono e sem rumo, este livro é narrado em primeira pessoa, o personagem principal refere-se a si mesmo como Eu. Mas como era de se esperar mais uma vez fui pega totalmente de calças curtas. Realmente não esperava o que encontrei entre linhas. Passando do ponto de vista do garoto a historia começa criar característica e tomar um rumo.



Enfrentando dificuldades financeiras a família do garotinho resolve assim alugar um dos cômodos da casa, mais especificamente o quarto. O inquilino é um sul-africano minerador de opalas que prega seu próprio lema “divida boa é divida paga”, brevemente ele demonstra o quanto é leal ao seu lema, quando ele atropela o gatinho do garoto e logo em seguida compra outro para recompensar o mal feito. 

Viciado em apostas o sul-africano perde todo o dinheiro que os seus colegas depositaram em sua mão. Sem ter muito que fazer o minerador comete suicídio, mas não em um lugar qualquer e sim dentro do carro da família do garoto, próximo a uma fazenda. Nessa fazenda há três mulheres, as enigmáticas Hempstock. E é para essas três mulheres que o garotinho de 7 anos pede abrigo, socorro e proteção, quando percebe algo de muito estranho com a sua nova governanta, Ursula Monkton. 

Para alguns que conhecem o mundo da magia, sabe-se que todo o sacrifício liberta forças ocultas desconhecidas, mas nunca sabemos quais forças serão libertadas, se serão elas benignas ou malignas. E é aí meus caros que toda a fantasia começa.


Dentro da fazenda Hempstock existe todo um universo particular, todo um mundo, seres fantásticos, coisas muito mais muito imaginativas mesmo e aí que o medo vem à tona, cai como um ladrão dos sentimentos e você se sente incapaz de qualquer reação, voltando assim a ser criança e perdendo seu senso de defesa. Por que a Ursula Monkton causa tanto pavor?

Uma história simples, singela, sem muito mi mi mi, que faz você emergi em uma grande fantasia, estimulando a capacidade de criar. Essa história me trouxe à tona a melhor parte de ser criança, liberdade criativa sem se importar muito com o outro, simplesmente ser aquilo que pensa. 

Aí vem um questionamento. Será que crescer é perder o fantástico mundo dentro de si? Não há esta pergunta, literal ou literalmente, no livro Oceano no Fim do Caminho, mas ela está oculta a uma entidade tão velha quanto o tempo. Obras como essa é a válvula de escape no mundo em qual vivemos.

Deixe um comentário