Título: The Heart of Betrayal
Autora:  Mary E. Pearson
Lançamento: 2016

Estante: Skoob
Páginas: 400
Editora: DarkSide

Compra: Amazon
Literatura: Internacional
Gênero: Fantasia, Romance
Estrelas: 5/5
Sinopse: Lia e Rafe estão presos no reino barbárico de Venda e têm poucas chances de escapar. Desesperado para salvar a vida da princesa, Kaden revelou ao Vendan Komizar que Lia tem um dom poderoso, fazendo crescer o interesse do Komizar por ela. Enquanto isso, as linhas de amor e ódio vão se definindo. Todos mentiram. Rafe, Kaden e Lia esconderam segredos, mas a bondade ainda habita o coração até dos personagens mais sombrios. E os Vendans, que Lia sempre pensou serem selvagens, desconstroem os preconceitos da princesa, que agora cria uma aliança inesperada com eles. Lutando com sua alta educação, seu dom e sua percepção sobre si mesma, Lia precisa fazer escolhas poderosas que vão afetar profundamente sua família... e seu próprio destino.

The Heart of Betrayal é o segundo livro da trilogia As Crônicas de Amor e Ódio.

Confira a primeira resenha: The Kiss of Deception 

Essa resenha contém spoilers do primeiro livro.

O primeiro livro acaba com Lia sendo levada por Kaden para Venda. Um lugar que todos conhecem por ser uma região de bárbaros e que muitos tem medo. Ao longo do caminho, Lia sempre escuta que Venda não faz prisioneiros. E Kaden sempre afirmando que Lia serviria por conta de seus Dons.

“[...] E Venda não fazia prisioneiros. Pelo menos eles nunca tinham feito isso antes.”

O Segundo livro, começa com Lia, Rafe (que foi tentar salvá-la) e Kaden, entrando em Venda. Lia sabe que se entrar naquele lugar, não há mais chances de sair dali. Pelo menos, não há como sair viva. Mas não há nada que se possa fazer.



Os três personagens principais estão escondendo segredos do Komizar (uma espécie de Rei de Venda) e esses segredos não podem ser revelados de maneira nenhuma, caso contrário, todos podem morrer.

Ao longo do livro, Lia percebe que ali não é um local como havia imaginado. Não há só pessoas bárbaras ali, mas tem pessoas humildes, de bom coração e que de certa maneira vão ajudar Lia. Seja para conhecer sua nova moradia entre outras coisas.

“Eu queria dizer que entrar não era o problema. Nós havíamos conseguido entrar. O problema era sair.”

Mas também sabe que precisa ficar atenta pois qualquer descuido pode ser fatal. Seja por suas andanças ou por suas atitudes. Ela tem que pensar em cada passo que será dado. É como se fosse um jogo de estratégias.

Percebemos que esse segundo livro, se trata mais da parte política do Reino. Vamos entender muitas coisas referente a política, nome das cidades, canções e até mesmo sobre o Dom de Lia.

“Seria isso o Dom, ou eu estaria apenas com medo de colocar um alvo nas minhas próprias costas?”

Terminei a primeira resenha dessa trilogia falando no quanto Lia tinha crescido ao longo de The kiss of Deception e não posso deixar de afirmar que Lia cresceu mais ainda nesse segundo volume.

O livro termina de uma forma que nos deixa sem fôlego e querendo muito mais, curiosos sobre o que está por vir.



Para mim, entre os dois livros, esse foi o melhor. Espero que o último não me decepcione.

Por favor, deixem seu comentário sobre esse livro. Quem já leu o terceiro volume, me fala se minhas expectativas valem a pena rs.


“Mil ou dois mil quilômetros, eu a carregaria por todo o caminho até Dalbreck se tivesse que fazê-lo.”

Beijos e até mais :)

Deixe um comentário