Destaques

19 de fevereiro de 2019

Resenha #204
The Beauty of Darkness - Mary E. Pearson @DarkSideBooks

Título: The Beauty of Darkness, - As Crônicas de Amor e Ódio Volume III

Autora: Mary E. Pearson
Estante: Skoob

Lançamento: 2017
Páginas: 576
Editora: DarkSide 
Literatura: Internacional
Comprar: Amazon
Gênero: Fantasia, Romance 
Estrelas: 4.5/5

Sinopse: A trilogia Crônicas de Amor e Ódio chega ao fim de maneira arrasadora. A história de Lia inspirou muitos leitores a embarcarem em uma jornada extraordinária repleta de ação, romance, mistérios e autoconhecimento, em um universo deslumbrante criado pela premiada escritora Mary E. Pearson, onde o poder feminino é a força motriz capaz de mudar e fazer toda a diferença no novo mundo em construção. Lia sobreviveu a Venda, mas não foi a única. Um grande mal pretende destruir o reino de Morrighan, e somente ela pode impedi-lo. Com a guerra no horizonte, Lia não tem escolha a não ser assumir seu papel de Primeira Filha, como uma verdadeira guerreira — e líder. Enquanto luta para chegar a Morrighan a tempo de salvar seu povo, ela precisa cuidar do seu coração e seus sentimentos conflituosos em relação a Rafe e as suspeitas contra Kaden, que a tem perseguido. Nesta conclusão de tirar o fôlego, os traidores devem ser aniquilados, sacrifícios precisam ser feitos e conflitos que pareciam insolúveis terão que ser superados enquanto o futuro de todos os reinos está por um fio e nas mãos dessa determinada e inigualável mulher.


O segundo livro da trilogia termina com Lia tentando fugir de Venda e o terceiro livro começa com Rafe levando Lia inconsciente ao encontro dos seus soldados. Lia está muito mal pois levou flechadas. Rafe está muito preocupado, com medo de que o pior aconteça.

Lia está se recuperando, mas o seu dom diz que eles tem que sair rapidamente do local onde eles estão, antes que alguém os encontre. Ela não sabe se o Komizar sobreviveu ou não quando a princesa saiu de Venda, mas sabe que um grande exército está sendo preparado para invadir e tomar Morrighan, assim como Dalbreck .

Rafe, os soldados e Lia querem chegar até um posto avançado de Marabella para conseguir suplementos e se recuperarem para conseguir voltar para Dalbreck.
“Se em algum momento houve três cavaleiros ímpares, éramos nós: o príncipe da coroa de Dalbreck, o Assassino de Venda e a princesa fugitiva de Morrighan. Filhos e filha de três reinos, cada qual determinado a dominar os outros dois.”


Rafe encontra com alguns outros soldados e descobre que Dalbreck está em um momento instável. Seu pai faleceu, ele é o novo Rei, mas há outras pessoas querendo o poder de ser o Rei também. Com essa instabilidade, Rafe precisa voltar o mais rápido possível, mas Lia também precisa voltar para Morrighan.

[...] Por que sempre é a moça que precisa desistir de tudo ? Por que um homem não pode adotar a terra natal da esposa ?
Ao mesmo tempo que Lia precisa partir, Rafe não quer que ela vá pois acha muito perigoso. Mas a princesa precisa salvar todo o seu reino dos traidores e precisa ter muito cuidado pois tanto Venda quanto Morrighan a querem morta. 



Preciso dizer que essa é sem dúvidas minha trilogia preferida. Vemos o quanto Lia cresceu em cada um dos livros lidos. Ela se transformou em uma grande mulher.




Gostei de todos os personagens da trilogia. E como tudo se desenrolou. Foi uma ótima construção e finalização.




O modo como os preconceitos perante a Lia (por ser mulher) são expressados e como ela mostra para o que realmente veio, desconstruindo tudo aquilo que imaginavam. É sensacional. Adorei “ver” a cara de todos que duvidam dela e como ficaram sem expressão, sem reação.

“Eu não sei como uma pessoa pode sentir tanto medo e estar tão cheia de fúria ao mesmo tempo.”
A DarkSide é uma editora que tem os livros mais bonitos que já vi. Me dá vontade de ter todos os livros dessa editora. Sempre capricham nas edições. E com "As Crônicas de Amor e Ódio" não foi diferente. O que me deixou triste foram os erros de tradução (tinham palavras fora de ordem em algumas frases) e também erros ortográficos. 



Não achei um livro com grandes clichês. Por mais que eles existam, não foi algo que me incomodou. Achei tudo bem sutil. Também não achei que o final foi previsível. Ele foi construído. 

"[...] passar tempo demais revivendo o passado não leva a lugar nenhum."
O que vocês acharam desse livro e da trilogia como um todo ?

Beijos e até mais :)

Comentários via Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

@ManuscritoLiterario

© Manuscrito Literário – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in